25 C
Imperatriz
domingo, fevereiro 25, 2024
spot_img
InícioPolicialPolícia de Barra do Corda pede a prisão de fazendeiro suspeito de...

Polícia de Barra do Corda pede a prisão de fazendeiro suspeito de contratar policiais para desocupação de terras

A Polícia Civil de Barra do Corda pediu um mandado de prisão contra o fazendeiro que seria o responsável por contratar os policiais que foram vítimas de emboscada no último dia 10, durante uma tentativa de desocupação de terra. Ele não se apresentou às autoridades, mesmo após uma negociação. Na emboscada, um policial, identificado como sargento Walmir, teve o corpo carbonizado em um veículo.  

A polícia também investiga a relação de posse deste fazendeiro com a propriedade em que o crime aconteceu. Segundo as autoridades, dos policiais contratados pelo fazendeiro, oito foram levados para um presídio em São Luís, um está foragido e outro foi capturado, eles vão responder por crime de milícia. A polícia já identificou os suspeitos de fazerem a emboscada, três deles são irmãos e foram apontados como líderes da invasão. 

Depois da emboscada, nove policiais foram presos e autuados em flagrante delito pelo crime de formação de milícias, sendo oito policiais militares e um policial penal. Dos noves presos, dois estavam internados na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Barra do Corda, por terem ficado feridos na emboscada. Após receberem alta, os policiais fugiram. Um deles foi localizado e preso em um outro hospital, na cidade de Grajaú. Enquanto que o outro policial continua foragido.

Os três irmãos foram identificados como líderes da emboscada, são Antônio Fernandes da Silva, Adonias Fernandes da Silva e Antônio Joacir Fernandes da Silva. O trio é chamado de “irmãos caninanas”, em referência à cobra caninana. Apesar de estarem identificados, ninguém foi preso até o momento. 

COMO OCORREU A EMBOSCADA

A emboscada aconteceu na noite de sexta-feira (10), após 10 policiais serem contratados por um fazendeiro para fazer uma desapropriação de terra em Barra do Corda, a 462 km de São Luís. Além do sargento que morreu carbonizado, mais dois policiais foram atingidos por disparos de arma de fogo e foram hospitalizados.

Após o caso, nove policiais foram autuados em flagrante pelo crime de milícia. Sete pertencem ao 4º Batalhão de Polícia Militar de Balsas, outro é do Batalhão de Barra do Corda e o último é um policial penal.

Virna Águida
Virna Águida
Graduanda de Jornalismo na Universidade Federal do Maranhão. Jornalista nos jornais Mais Maranhão e Imperatriz Online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
CAPTCHA user score failed. Please contact us!

- Publicidade -spot_img

Mais Populares

- Publicidade -
#

Ultimos Comentários

× WhatsApp