27.2 C
Imperatriz
quarta-feira, fevereiro 28, 2024
spot_img
InícioCidadeCandidatos denunciam falta de transparência no resultado da Lei Paulo Gustavo em...

Candidatos denunciam falta de transparência no resultado da Lei Paulo Gustavo em ITZ

Candidatos da seleção para a Lei Paulo Gustavo de Imperatriz estão denunciando falta de transparência no resultado do certame. Segundo eles, o município divulgou a lista dos aprovados sem citar os nomes dos projetos e sem dar direito dos candidatos entrarem com recurso em relação ao resultado.

Ainda de acordo com os candidatos, já havia evidências de irregularidades no edital do concurso. Outro ponto destacado pelos denunciantes é sobre uma suposta empresa sediada em São Luís ter o projeto aprovado, mesmo que seja requisito disponibilizado no edital que a Pessoa Jurídica seja sediada em Imperatriz.

Nas denúncias, os participantes também pontuam sobre as notas dos projetos que não foram publicadas desde o primeiro momento. Tanto os que foram aprovados quanto os que não escolhidos.

Leia as reclamações feitas no post da Fundação Cultural de Imperatriz:

Os candidatos fizeram uma lista com as principais observações acerca dos problemas encontrados no edital. Veja a seguir os pontos levantados pela classe:

1. Acesso às notas e pareceres dos projetos avaliados pela comissão avaliadora.

2. Transparência no resultado divulgado, incluindo o nome dos projetos selecionados.

3. Divulgação dos pareceristas selecionados para avaliar os projetos.

4. Falta de comunicação em relação ao prazo de abertura e encerramento do prazo de recursos em relação ao resultado.

5. Investigação da empresa selecionada na categoria de longa-metragem, uma vez que, de acordo com seus dados, está sediada na cidade de São Luís, sendo que é requisito do edital no ponto 3.2, que exige que a pessoa jurídica de direito privado, de natureza cultural, com ou sem fins lucrativos, seja sediada em Imperatriz/MA e apresente expressamente em seus atos constitutivos finalidade ou atividade de cunho artístico e/ou cultural relacionados ao objeto.

6. Explicação sobre como um projeto previamente habilitado como documentário foi selecionado na categoria de curta-ficção.

7. Para a categoria de cineclubes, que não obteve inscrições, a classe do audiovisual solicita informações sobre a realocação da verba destinada a esta categoria.

8. No envio online dos projetos faltava campos de upload de arquivos

9 Despreparo por parte da equipe da Fundação cultural em organizar o certame não conseguindo responder aos questionamentos básicos.

10. A primeira versão do edital foi um copia e cola do edital de São Luís não se deram ao trabalho nem de mudar o nome das cidades em alguns pontos

O Imperatriz Online encaminhou as denúncias ao município e cobrou um posicionamento.

Vanessa Carvalho
Vanessa Carvalho
Acadêmica de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Membro da equipe de Jornalismo do Imperatriz Online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
CAPTCHA user score failed. Please contact us!

- Publicidade -spot_img

Mais Populares

- Publicidade -
#

Ultimos Comentários

× WhatsApp