22 C
Imperatriz
quinta-feira, fevereiro 29, 2024
spot_img
InícioAssinantePF prende homem por crimes de lavagem de dinheiro e de fraudes...

PF prende homem por crimes de lavagem de dinheiro e de fraudes previdenciárias no MA

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã de ontem (6), a Operação Pedra de Escaravelho, em Codó, a 290 km de São Luís, com o objetivo de combater o crime de lavagem de dinheiro. A ação resultou na execução de dois mandados de busca e apreensão e na prisão de uma pessoa em flagrante, acusada de receptação qualificada.

Além dos mandados de busca e apreensão, uma pessoa foi presa em flagrante pelo crime de receptação qualificada, acusada de ter comprado uma arma de fogo sabendo que era produto de crime. As investigações continuam para identificar e confirmar o patrimônio, bens e valores que possam ser provenientes de atividades criminosas.

O nome da operação, Pedra de Escaravelho, faz referência a um tipo de pedra plana utilizada na lavagem manual de roupas. Segundo a PF, a escolha do nome visa a ilustrar o foco da operação: o combate à lavagem de dinheiro. A ação é uma decorrência direta da Operação Quilópodes, realizada em 2015, que investigou fraudes previdenciárias na cidade de Caxias, a 360 km de São Luís.

Em 24 de novembro de 2015, a Operação Quilópodes contou com a participação da Polícia Federal, Ministérios do Trabalho e Emprego (MTE), Previdência Social (MPS), Ministério Público Federal (MPF) e outros órgãos da Força-Tarefa Previdenciária. Na época, o prejuízo estimado era de R$ 11 milhões.

A operação resultou na execução de dez mandados de prisão preventiva, 22 mandados de busca e apreensão e cinco mandados de condução coercitiva. Também foram sequestrados e arrestados bens e valores nas cidades de Caxias, Codó, Vargem Grande, Presidente Dutra, Barreirinhas, Paço do Lumiar, São Luís e Teresina (PI). Entre as medidas adotadas, estava a suspensão de 288 benefícios assistenciais com graves indícios de fraude.

As investigações iniciadas em 2012 identificaram um esquema criminoso em atividade desde 2010. A quadrilha envolvia um servidor do INSS e funcionários do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Correios, que facilitavam a concessão e atualização de benefícios, abertura de contas-correntes, realização de prova de vida, renovação de senhas bancárias e efetivação de empréstimos consignados.

Com a continuação das investigações e a nova operação em Codó, a Polícia Federal reforça seu compromisso de combater a lavagem de dinheiro e outros crimes associados, protegendo assim o erário público e a integridade do sistema financeiro nacional.

Lucas Aquino
Lucas Aquino
Acadêmico de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Membro da equipe de jornalismo do Imperatriz Online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
CAPTCHA user score failed. Please contact us!

- Publicidade -spot_img

Mais Populares

- Publicidade -
#

Ultimos Comentários

× WhatsApp