26.7 C
Imperatriz
sábado, maio 11, 2024
spot_img
InícioEstadoMoradores de Barra do Corda compram água após dois meses sem abastecimento

Moradores de Barra do Corda compram água após dois meses sem abastecimento

Os moradores de vários bairros do município de Barra do Corda, localizado a 300 km de Imperatriz, estão enfrentando uma crise hídrica sem precedentes. Por mais de dois meses, não têm tido acesso a água potável, um bem fundamental para as atividades diárias. Essa situação levou-os a comprar água de caminhões pipa para suprir suas necessidades básicas.

“Não conseguimos cozinhar ou fazer tarefas simples de casa, como lavar a roupa”, relata uma das residentes do local. A falta de água, além de causar transtornos na vida cotidiana dos cidadãos, também coloca em risco a sua saúde.

Os moradores afirmam que a prefeitura de Barra do Corda havia prometido resolver a questão, mas até agora, nenhuma medida efetiva foi tomada. O Mais Maranhão entrou em contato com a prefeitura de Barra do Corda e aguarda uma resposta. É importante ressaltar que o acesso à água potável é um direito humano básico, conforme reconhecido pelas Nações Unidas em 2010, e é responsabilidade dos governos garantir esse direito a seus cidadãos.

A crise de água em Barra do Corda reflete um problema mais amplo e estrutural de acesso à água em muitas partes do Brasil. Enquanto as autoridades trabalham para encontrar uma solução duradoura, os residentes continuam a viver com a incerteza diária do abastecimento de água, forçados a se adaptar como podem nesta situação difícil.

Continuaremos a acompanhar a situação e forneceremos atualizações conforme recebermos mais informações.

MAIS SITUAÇÕES DE FALTA DE ÁGUA: 

Moradores de assentamentos na zona rural de São João dos Patos, entre eles Bela Vista e Invasão, vêm enfrentando dificuldades com o abastecimento de água na região. De acordo com as comunidades locais, a água, quando disponível, chega às torneiras com terra e uma coloração escura, tornando-se imprópria para o consumo humano.

A falta de água é um problema recorrente que aflige os habitantes desses assentamentos, forçando-os a comprarem água potável para suprir suas necessidades básicas. Com esta situação, eles pedem providências urgentes para a resolução do problema.

Nossa equipe de reportagem do Mais Maranhão entrou em contato com a prefeitura de São João dos Patos a fim de obter respostas sobre a situação. Aguardamos um retorno com esclarecimentos sobre as medidas que serão tomadas para solucionar essa questão crítica.

Enquanto isso, os moradores continuam à espera de uma solução, enquanto enfrentam as dificuldades diárias impostas pela falta de um recurso tão fundamental como a água.

DIREITO A ÁGUA POTÁVEL:

O acesso à água potável é um direito humano essencial e fundamental para a saúde e bem-estar de todos os indivíduos. Este princípio foi reconhecido pelas Nações Unidas (ONU) em 2010, e é visto como um dos componentes chave para a realização de outros direitos humanos, incluindo o direito à vida, à saúde, à alimentação e à educação.

A água potável é essencial para a manutenção da saúde humana. A falta de acesso a água potável limpa e segura pode levar a doenças transmitidas pela água, como cólera, disenteria, hepatite A e outras infecções intestinais. Além disso, a falta de acesso a água potável também pode afetar negativamente a educação e o desenvolvimento econômico, já que as pessoas podem ser forçadas a gastar grande parte de seu tempo buscando água em vez de frequentar a escola ou trabalhar.

O acesso à água potável também é um componente importante para a dignidade humana. Ter que se deslocar longas distâncias para coletar água, ou ser forçado a consumir água de qualidade ruim, pode levar a uma diminuição na dignidade e autoestima.

É responsabilidade dos governos garantir que todos os cidadãos tenham acesso à água potável. Isso pode ser feito por meio de políticas públicas, investimento em infraestrutura e educação pública sobre a importância da água limpa. Infelizmente, ainda existem muitas áreas no mundo, principalmente em países em desenvolvimento, onde o acesso à água potável é limitado ou inexistente.

Em última análise, o acesso à água potável é mais do que apenas um direito humano; é uma questão de justiça social e equidade. Garantir que todos tenham acesso à água limpa e segura é um passo crucial para a realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e para a criação de um mundo mais justo e igualitário.

Valéria Cristina
Valéria Cristina
Jornalista - Graduada no curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Membro da equipe de Jornalismo do Imperatriz Online e Mais Maranhão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
CAPTCHA user score failed. Please contact us!

- Publicidade -spot_img

Mais Populares

- Publicidade -
#

Ultimos Comentários

× WhatsApp