34 C
Imperatriz
sábado, fevereiro 24, 2024
spot_img
InícioAssinanteProfessores da UEMASUL e UEMA confirmam fim da greve após decisão da...

Professores da UEMASUL e UEMA confirmam fim da greve após decisão da justiça

Os sindicatos dos professores da Universidade Estadual da Região Tocantina (UEMASUL) e Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) confirmaram o fim da greve após a decisão da justiça que decretou que a paralisação é ilegal e determinou o retorno imediato das aulas.

Segundo o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN) e a Seção Sindical dos Docentes das Universidades Estaduais Públicas do Maranhão (SINDUEMA S Sind), os professores vão cumprir a decisão judicial, mas medidas legais estão sendo tomadas para recorrer da decisão.

A decisão da justiça acatou um recurso do Governo do Estado, que pedia o fim da paralisação, o desembargador Francisco Ronaldo Maciel, do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), determinou a ilegalidade da greve.

Segundo a decisão, os professores devem retomar as aulas no prazo máximo de 24h, sob pena de pagamento de multa no valor de R$ 100 mil por dia, em caso de descumprimento. Os grevistas também estão proibidos de bloquearem o acesso às duas universidades, a partir da próxima segunda-feira (13).

A paralisação começou no dia 24 de agosto deste ano, com cobranças sobre a realização de concurso público para a recomposição do quadro de professores efetivos, a nomeação de concursados e melhorias estruturais no campus e reajuste salarial de 50,28%.

A Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou, no início deste mês de novembro, o Projeto de Lei de autoria do Poder Executivo, que concede reajuste de 11% aos servidores públicos do Estado, incluindo os professores da UEMA e UEMASUL. Porém, em um prazo de 4 anos.

Ao contestar a greve, o Governo do Estado alegou que todos os canais de negociação não foram esgotados e, mesmo assim, os professores decidiram paralisar as atividades. O governo também afirmou que o sindicato não manteve os 30% dos servidores nos postos de trabalho, como deveria ter feito.

A greve durou mais de dois meses, deixando mais de 50 mil alunos em todo o estado sem aulas. Segundo eles, apenas algumas disciplinas de cursos de graduação estava tendo aulas, porém, insuficientes para continuar o semestre. No mestrado, todos os cursos estavam sem aulas. No campus de Balsas, a paralisação afetou 800 alunos e todos os cursos.


Valéria Cristina
Valéria Cristina
Jornalista - Graduada no curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Membro da equipe de Jornalismo do Imperatriz Online e Mais Maranhão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
CAPTCHA user score failed. Please contact us!

- Publicidade -spot_img

Mais Populares

- Publicidade -
#

Ultimos Comentários

× WhatsApp