25 C
Imperatriz
domingo, maio 26, 2024
spot_img
InícioAssinanteMoradores ficam preocupados com incêndios em Imperatriz

Moradores ficam preocupados com incêndios em Imperatriz

Uma nuvem densa de fumaça cobre a Rua da Paz, no bairro Parque das Palmeiras, decorrente de um incêndio em uma área de vegetação de um terreno local. O incidente tem causado preocupação entre os moradores, pois as chamas estão se aproximando das residências.

Segundo relatos dos habitantes locais, a fumaça se espalha rapidamente pela área, afetando a visibilidade e a qualidade do ar. Há um crescente temor de que o incêndio possa chegar às casas e provocar danos materiais ou até mesmo riscos à integridade física dos moradores.

INCÊNDIOS EM IMPERATRIZ: 

Nas últimas 24 mais de 20 focos de incêndio foram registrados em Imperatriz. O tempo seco e a falta de chuva são as principais causas para o aumento dos focos. 

Os incêndios registrados são principalmente por causa de donos de terrenos que estão tentando limpar áreas de vegetação. 

INCÊNDIOS DO MARANHÃO: 

A cidade de Mirador, distante 496 km de São Luís, alcançou um triste destaque no mês de julho, ao registrar o maior número de focos de incêndios no país, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O relatório aponta que, de 1 a 18 de julho, foram registrados 147 focos na cidade, representando um aumento de 86% em relação ao mesmo período do ano passado.

Outros dois municípios maranhenses também aparecem no ranking dos dez com maior número de focos acumulados nos últimos cinco meses. Fernando Falcão, com 74, e Balsas com 60 focos de incêndio encontram-se na lista que inclui ainda municípios de outros estados.

No período de 14 a 18 de julho, o Maranhão registrou um total de 160 focos de incêndio, um aumento de 596% em relação ao mesmo período do ano anterior. A situação é tão alarmante que colocou o estado no topo da lista dos estados com maior número de focos de incêndio no país.

No balanço dos focos acumulados por estado nos últimos cinco anos, de 1º de janeiro a 18 de julho, o Maranhão ocupa o segundo lugar, com 3.582 focos, atrás apenas de Mato Grosso, que registrou 6.793.

Diante do cenário, foi assinado um decreto estadual n° 38.403, proibindo o uso de fogo para manejo e limpeza de áreas até novembro no Maranhão. O objetivo é conter o número de incêndios e queimadas, que não só causam danos ambientais, mas também afetam a saúde humana e a economia local.

O comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão, Cel. Célio Roberto de Araújo, explica que a medida é crucial para preservar a integridade dos ecossistemas e proteger as comunidades dos efeitos nocivos das queimadas descontroladas.

O estado possui características climáticas e geográficas que favorecem o surgimento de focos de incêndio, o que faz com que esteja sempre entre os primeiros no ranking. Para garantir o cumprimento do decreto, o Corpo de Bombeiros, em conjunto com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema), realizará ações de fiscalização e aplicará sanções, se necessário.

Além disso, para combater queimadas, o governo criou o Comitê Estratégico para a Prevenção e Combate ao Desmatamento Ilegal, Exploração Florestal Ilegal e Incêndios Florestais (CEDIF). O comitê, composto por diversos órgãos da administração pública estadual e federal, conta com o Corpo de Bombeiros na linha de frente e atua por meio de estudos e atividades in loco de brigadistas, principalmente nas regiões do estado onde os focos de incêndio são mais intensos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
CAPTCHA user score failed. Please contact us!

- Publicidade -spot_img

Mais Populares

- Publicidade -
#

Ultimos Comentários

× WhatsApp