Mulher que teve queimadura de terceiro grau no corpo precisa de ajuda

0
115
blank
Giselda Monteiro Cabral, 42 anos, internada no Hospital Municipal de Imperatriz (HMI), após sofrer o acidente.
- Publicidade -

A feirante Giselda Monteiro Cabral, 42 anos, estava trabalhando em uma barraquinha na Feirinha do Bacuri, quando sofreu um acidente com gordura quente e acabou ficando com queimaduras de segundo e terceiro grau em parte do corpo, a mais grave foi na perna que está bastante machucada.

De acordo com informações da família, a feirante trabalha ao lado de um local que vende pastel e no momento em que Gisela abaixou, a bacia onde são feitos os pasteis, caiu com gordura quente e pegou na parte inferior do corpo dela ocasionando queimaduras de segundo e terceiro grau, ela está em estado grave.

Com o ocorrido, a família e os amigos de Giselda estão pedindo ajuda para custear o tratamento, já que ela está impossibilitada de trabalhar. Giselda está internada no Socorrão recebendo medicação e passando por procedimentos médicos, mas precisa de ajuda com outros processos que não estão disponíveis no SUS e com medicamentos. Para ajudar você pode enviar qualquer quantia para o pix: 00761013393 – Giselda Monteiro Cabral.

LEIA A NOTA DOP HOSPITAL NA ÍNTEGRA:

Ela esteve no hospital no dia do acidente, foi atendida e recebeu alta. Retornou no último sábado, dia 06. A pele dela esta passando por um processo natural do trauma sofrido com a queimadura.

A paciente está sendo bem assistida. Todos os dias são feitos curativos e esta tomando sete tipo de medicamentos, inclusive antibióticos.

A própria irmã acabou de reafirmar que não faltou medicação nenhum dia. A raspagem não foi feita de imediato porque precisava melhorar seu quadro clínico para passar pelo procedimento. Faria a raspagem hoje, não fez porque não estava em jejum e foi remarcado para amanhã.

O Prontuário da paciente com todas as informações do tratamento que está recebendo está a disposição para quem quiser atestar as informações.

A irmã que a acompanha ressalta que o que desejam é fazer um tratamento auxiliar com medicina hiperbárica para acelerar processo de cicatrização. No entanto não faz parte dos procedimentos oferecidos pelo sus e e custa caro. Por isso, um familiar decidiu usar as redes sociais para pedir ajuda financeira para custear esse tratamento que desejam“.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui