24.2 C
Imperatriz
sábado, junho 19, 2021
spot_imgspot_img
InícioEstadoIndustrias maranhenses se adequam ao novo cenário de pandemia

Industrias maranhenses se adequam ao novo cenário de pandemia

O cenário pandêmico exigiu das empresas uma nova postura e novas técnicas de gestão nos aspectos físicos e estruturais, sobretudo no investimento da saúde do colaborador.

Empresas de grande e de pequeno porte estão se adequado a nova realidade a fim de garantir o funcionamento da mesma e acima de tudo, garantir a saúde da equipe e dos clientes. Medidas como redução da carga horária de trabalho, rodízio de funcionários, home office, protocolos de distanciamento, uso de máscara e higienização do ambiente são fatores de máxima importância no momento.

Aliado a essas mudanças, as medidas de saúde como a aquisição de testes para a Covid-19 e a imunização dos colaboradores contra o vírus da gripe H1N1 também estão sendo adotados, a fim de garantir que os mais vulneráveis não sofram com os impactos da pandemia.

Dados da Pesquisa Pulso Empresa Impacto da Covid-19 nas Empresas (IBGE/2020), apontam que na primeira quinzena de julho, o Brasil tinha 4 milhões de empresas, desse total 520 mil, o que corresponde a 40% tiveram que encerra suas atividades temporária ou definitivamente. O setor de Serviços foi o mais atingido. Foram 258,5 mil (49,5%), seguido do comércio com 192,0 mil (36,7%), 38,4 mil (7,4%), da construção e 33,7 mil (6,4%) da indústria. 

A pesquisa revela também que nove em cada dez empresas fizeram campanhas de informação e prevenção e adotaram medidas extras de higiene nas suas atividades. O teletrabalho, trabalho remoto e trabalho à distância foi adotado por 38,4% e 35,6% anteciparam férias dos funcionários. Um outro dado observado é que três em cada dez (32,4%) adotaram pelo menos uma medida em relação aos impactos da covid-19 com apoio do governo.

 Indústrias consideradas prestadoras de serviços essenciais do ramo de alimentos, medicamentos e energia, como foi o caso da Equatorial Maranhão e 55 Soluções não pararam e continuam em pleno funcionamento, atentas às medidas de saúde e conscientização de seus colaboradores.

Só em Imperatriz, as duas empresas realizaram blitz de saúde, medição de temperatura e palestras, adquiriram ainda mais de 700 doses de vacina H1N1, além de outros investimentos na saúde dos colaboradores.

Além dessas medidas, a Equatorial migrou o atendimento presencial para os canais digitais para os trabalhadores pertencentes ao grupo de risco, e para os colaboradores das áreas administrativas foi adotado o home office.

No caso das atividades operacionais, as equipes de atendimento ao cliente, foram adotadas todas as medidas de higienização e distanciamento, a fim de preservar a saúde de colaboradores e consumidores.

Simone Joe
Graduanda em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, na Estácio. Letras (UEMA) e pós-graduada em Português para Jornalistas (Unyleya). Membro da equipe jornalística do Imperatriz Online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

Ultimos Comentários

José Galvão on Quatro feridos em tiroteio
Jaciane oliveira de Sousa on Casamento comunitário será online
Pablo Nascimento Cortez Moreira on Professor Frazão morre por complicações de covid-19
Ildeane Ramos do Nascimento on Caixa Econômica tem novo horário de atendimento
× Fale com a gente, agora!