Bolsonaro diz que cooperação com Argentina sobre Venezuela mostra convergência de posições

Texto: Reuters

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, disse nesta quarta-feira que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, é um “ditador que quer se perpetuar no poder com eleições fictícias”, durante a visita do primeiro chefe de estado ao Brasil em que o presidente Jair Bolsonaro destacou a cooperação entre os dois países sobre a Venezuela como o exemplo mais claro de convergência de posições e identidades de valores.

“Compartilhamos a preocupação com os venezuelanos. E reafirmamos nossa condenação à ditadura de Nicolás Maduro. Não aceitamos ruptura da democracia e muito menos a tentativa de vitimização de quem é, na realidade, vitimador”, disse Macri.

“A comunidade internacional já se deu conta de que Maduro é um ditador que busca perpetuar-se no poder com eleições fictícias, encarcerando opositores, conduzindo a Venezuela para uma situação desesperadora e agônica”, completou ele, em declaração feita no Palácio do Planalto.

Presidente Jair Bolsonaro recebe presidente argentino, Mauricio Macri, em Brasília 16/01/2019 – REUTERS/Ueslei Marcelino

Enfático, o presidente argentino disse que reiterava “de antemão” que “reconhecemos a Assembleia Nacional como a única instituição legítima venezuelana, eleita democraticamente pelo povo venezuelano.”

MERCOSUL

Em declaração no Planalto feita na visita do presidente da Argentina, Bolsonaro disse que, em reunião com Macri, concordaram a respeito da importância sobre o aperfeiçoamento do Mercosul e se propor uma nova agenda de trabalho.

“O Mercosul precisa valorizar sua tradição original de redução de barreiras”, disse ele, ao defender que o propósito é que o bloco seja enxuto e tenha relevância.

Bolsonaro defendeu que, na frente externa, o Mercosul precisa concluir as negociações mais promissoras —numa referência indireta ao acordo com a União Europeia, ainda não concluído— e criar novas oportunidades de comércio e investimento.

O presidente elogiou os esforços que Macri tem feito para reerguer a economia do país vizinho, com avanço em uma série de áreas, e também destacou que as reformas econômicas que Brasil e Argentina estão levando adiante são fundamentais para “revigorar nossas economias”.

No brinde, feito antes do almoço com o presidente argentino, Bolsonaro também disse que Brasil e Argentina têm a firme determinação de combater o crime organizado e disse que seu governo e o de Macri continuarão a defender a democracia na região.

Ao destacar como “produtivo” o encontro com Bolsonaro, Macri destacou a necessidade de avançar no Mercosul de forma que o bloco se adapte aos desafios do século 21. Disse ainda estar convencido de que o comércio é o instrumento para impulsionar o desenvolvimento e que as negociações para a formação de um acordo com a União Europeia “avançaram como nunca antes”.

O presidente argentino afirmou que a atuação comum tem que envolver a segurança, tendo como objetivo o combate ao narcotráfico, crime organizado e lavagem de dinheiro, assim como uma agenda de transparência e de luta contra a corrupção.

No encontro no Planalto, os presidentes e ministros dos dois países assinaram um acordo para revisar o tratado de extradição entre ambas as nações. Mais cedo, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, havia afirmado que a revisão do tratado tem como objetivo acelerar procedimentos criminais entre os países vizinhos e evitar situações como a do italiano Cesare Battisti, que fugiu do Brasil.

Carregar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja Mais

Bolsonaro: abro mão da reeleição se Brasil passar por reforma política

Bolsonaro: abro mão da reeleição se Brasil passar por reforma política Texto: Agência Bras…