Melhorando a sua forma de pensar

– Doutor, estou com dor no estômago. Ontem tive um dia muito estressante e agora estou com ”crise de gastrite.”

– João, posso te ajudar com algumas medicações que vão melhorar a sua dor. Porém, a causa da sua gastrite é psicológica. 

 

Na maioria das vezes, os médicos não irão entrar no mérito psicológico das doenças atendidas em seus consultórios. Afinal de contas, não é fácil e muito menos simples lidar com o emocional do ser humano. O pacientes ficam perdidos, pois não sabem como trabalhar a parte mental “impalpável” das doenças. Ir ao psicólogo ou psiquiatra ainda é motivo de vergonha na nossa sociedade. Temos muitos padrões para serem quebrados e muito caminho para evoluir.

Estamos vivendo a era da consciência. Em todos os textos que escrevo, deixo explícita a relação entre doenças físicas e psíquicas. Até então, a sociedade andou muito preocupada com sintomas físicos. Ir ao médico sempre foi uma tentativa de resolver as sensações do corpo, sendo que a mente geralmente ficava em segundo plano.

Agora, munidos de conhecimentos sobre alimentação e conscientes sobre a importância da atividade física, estamos tentando lapidar outras arestas da vida humana: relações sociais e familiares, controle do stress, quebra de traumas e limitações psíquicas.

O momento da humanidade que vivemos exige mais do nosso cérebro do que do nosso corpo. Lidamos com muito raciocínio, tecnologia e informação e pouco movimento – passamos 10 horas por dia sentados. As relações sociais se estreitaram, pois a comunicação agregou a todos. Hoje, precisamos de mais capacidade de linguagem e habilidade de convivência. Logo, o cérebro é um dos órgãos que mais utilizamos na vida moderna – por isso é tão importante cuidar do que existe dentro dele para termos mais qualidade de vida e de pensamento.

Vejo uma tendência mundial de questionamento: porque tanta doença mental, se já evoluímos tanto como sociedade?  O fato é que esta era tecnológica nos levou ao extremo da nossa capacidade mental. Em momento algum foi dito que precisávamos de equilíbrio. A necessidade de produzir mais, de superar a pobreza e entrar no padrão capitalista – onde os níveis de exigência sempre passam por cima da sua saúde física e psíquica- aumentou tanto o nível de exigência, que desregulou o sistema como um todo.

Observe: estamos à beira de um colapso não apenas mental, mas também ambiental e econômico. Desacelerar e organizar toda essa evolução que presenciamos nos últimos séculos é a chave para o equilíbrio que tanto buscamos e pouco encontramos.

SE PODEMOS TREINAR, LAPIDAR E ATÉ MESMO MUDAR O NOSSO CORPO, POR QUE  NÃO BUSCAMOS EXERCÍCIOS PARA LAPIDAR E MUDAR O NOSSOS PADRÕES INDESEJADOS DE PENSAMENTO?

Entender que muitas patologias físicas iniciam na mente é o primeiro passo para conseguir ”corta o mal pela raiz”. Se treinarmos a nossa mente para que ela viva em harmonia entre pensar, querer e agir, muitas das doenças de hoje não existiriam.

As doenças da mente assolam a nossa população porque até então pouco se falou sobre cuidar dos nossos pensamentos para teu uma vida mais saudável. A ideia por muito tempo vendida era a de que o corpo precisava estar em equilíbrio e harmonia. No entanto, se seu corpo está munido contra doenças, mas sua mente não, o desequilíbrio chegará até você – não tem para onde correr.

Texto: Anny Mesquita, médica. Pós-graduanda em medicina antroposófica. @annymmesquita

 

 

Carregar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

Entenda os mitos e verdades sobre a asma

Entenda os mitos e verdades sobre a asma Com milhões de pessoas no mundo atingidas pela do…