Jovens fotógrafos em Imperatriz

Conheça os dois estudantes que levam o hobby como profissão

Foto: Jéssica Lima

O ângulo certo, a paisagem perfeita e a pose mais adequada. Tudo isso conta para se ter uma boa fotografia. Às vezes, o lugar perfeito pode ser uma praia ou um bosque, ou até mesmo um galpão abandonado. Depende muito do propósito e do gosto do cliente. Em Imperatriz, não é difícil encontrar fotógrafos espalhados por diferentes espaços da cidade. Alguns deles são bem jovens, que levam a profissão como hobby, mas com profissionalismo.

Foto: @jnfotografias

A fotografia chegou cedo na vida da estudante Jéssica Lima, de 20 anos. “Foi meu pai que despertou essa vontade de fotografar. Na família, ele sempre estava com uma máquina, registrando tudo. Sempre me deu presentes relacionado à fotografia. A primeira câmera ganhei dele, desde então, sempre gostei de registrar,” conta Jéssica, reforçando que busca inspiração em perfis de fotógrafos brasileiros e internacionais.

No início, Jéssica gostava de fotografar paisagens, animais, flores e o Rio Tocantins, mas hoje o seu foco está em pessoas. “Aprendi a gostar de fotografar gestantes, crianças e família. Continuo gostando de fotografar o que falei inicialmente [paisagens, animais…], fotografo bem menos, mas gosto”, conclui a estudante.

Thiago Marinho

Já o acadêmico de engenharia de produção Thiago Marinho, de 21 anos, conta que a fotografia chegou na sua vida de duas formas: “Tem duas histórias: no ensino médio ganhei um celular com uma câmera legal e comecei a fotografar tudo que eu via com ele. A outra é um pouco mais antiga e complementa toda a história… assim que começou a fotografia digital, meu pai foi pra fora do país e nessa viagem ele comprou uma câmera digital e comecei a fotografar. Ainda tenho ela, porém era mais quando saíamos em viagem ou em eventos”. Ele afirma ainda que para um fotógrafo, tudo é fonte de inspiração.

Marinho completa que mesmo estando focado em pessoas no momento, diz que tem um projeto de criar um perfil no Instagram para fotos tiradas exclusivamente pelo celular e publicá-las com ou sem filtro, como forma de se expressar. “A ideia é pegar o celular tirar a foto, ‘passar’ um filtro ou não e postar”, declara.

Foto: Thiago Marinho

Quanto aos melhores lugares para fotografar na cidade, para Jéssica, um dos desafios são os espaços privados, que apesar de ideais para fotos, são de difícil acesso. Mesmo assim, ela dá dicas de bons ambientes na cidade. “Os lugares aqui, tem que usar a criatividade. Lugares legais e que pode entrar sem pagar: Parque de Exposições, Beira Rio (especialmente nos becos) e o estacionamento do Imperial Shopping”.

Marinho, prefere desbravar os lugares. “Antes tínhamos só as praias, hoje temos muitos pontos turísticos se comparado a outros momentos. Vou andando nas ruas da cidade e fico procurando lugares para serem fotografados e quais ângulos seriam mais interessantes.” Mas os mais usados pelo fotógrafo são a Beira Rio, Haras Clube, Embiral, Parque de Exposições e Aeroporto.

Para conhecer mais o trabalho deles:

Jéssica Lima: @belaflorfotografia

Thiago Marinho: @thiagofernandesph

 

 

 

Carregar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

Caninana é atração principal da Vaquejada Haras HotBel

De 19 a 22 de setembro Imperatriz recebe a segunda edição da Vaquejada Haras HotBel. Consi…